terça-feira, 27 de março de 2012

Para a Família : Crokinole



Eu ia escrever sobre o Crokinole como mais uma dica para jogar com a mulecada, mas na verdade esse é um daqueles jogos para se ter na mesinha de centro da casa, para toda a família brincar.

Criado no século XIX no Canadá, Crokinole é um jogo de destreza onde temos que na base do peteleco tentar acertar o centro do tabuleiro e ao mesmo tempo expulsar o máximo de peças adversárias das áreas que pontuam.


Uma partida registrada no Castelo das Peças.

Jogado em dupla tem regras muito fáceis de serem ensinadas até para os mais novinhos, e as partidas duram de 20 a 30 minutos, o que garante horas de diversão entre os jogadores.

O jogo é tão clássico entre os gamers que todo ano na BGG.Con o pessoal da Board Game Geek manda confeccionar um tabuleiro especial para o evento, sempre com um tema diferente.


Tabuleiro customizado para a BGG.Con de 2007. Foto BGG.

Aqui no Brasil apenas a Mitra vende o tabuleiro, mas se os amigos forem para fora, nos Estados Unidos e Canadá existem várias fabricantes, inlcusive com trabalhos tão lindos, que vai ser difícil escolher um só.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Resenha : Convocados



Criado em 2011 pela Galápagos Jogos, em Convocados somos treinadores de futebol montando os melhores times para com um esquema tático bem treinado derrotar o time adversário.


A mesa durante a partida de Convocados. Foto BGG.

Convocados é um card-game rápido para 2 pessoas com regras fáceis de se ensinar, rápido de jogar e muito divertido.

Lembrando um pouco Battle Line, nele temos 3 setores do campo onde colocamos os jogadores para tentar superar o setor adversário. Alguns elementos dão pontos extras (como sequência de jogadores, jogadores da mesma nacionalidade) e podemos também surpreender o outro time mudando o esquema tático.


Os dois decks com todas as cartas necessárias para a partida. Foto BGG.

Sobre a qualidade do material, essa é uma parceria entre a Galápagos e a Copag, o que garante que as cartinhas sejam de primeira e pelo tamanho compacto da embalagem, Convocados é uma excelente opção de filler para se ter em casa.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Quinta de chuva e jogos no Spaghetti

Ao contrário do que tem acontecido nas últimas quintas, ontem o Spoleto tinham no máximo umas 15 cabeças jogando, o que é um quorum baixo, mas o povo que foi estava super animado e nas mesas muita coisa boa rolando.

Quando eu cheguei o Victor comandava uma mesa de Manhattan Project e o Manique puxava uma de Cyclades, com o povo que estava de bobeira abrimos uma mesa de El Grande.


Partida do El Grande ainda no início.

A partida foi disputada de perto na primeira pontuação, mas daí em diante a Lu abriu uma vantagem que só aumentava, e mesmo conseguindo dar uma enconstada na última pontuação ela venceu com folga, comigo em segundo, Daniel em terceiro e Shamou em quarto.

Depois disso as mesas deram uma reorganizada, uma galera puxou um Dixit, outra um Formula Dé e eu entrei numa partida de Ora et Labora.


Ora et Labora rolando na Irlanda.

Jogando pela primeira vez com a Irlanda, foi legal ver os prédios diferentes e uma forma nova de combinar as ações, mas nada disso conseguiu nem atrapalhar os planos do Warny que levou a partida facinho, com o Caldas em segundo, eu em terceiro e o Braz em quarto.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Rapidinhas de quinta

— Começaram a sair mais informações sobre a esperada expansão Realms do Small World. Gostei da solução dos tiles.



— Saiu essa semana no jornal O Estado RJ uma matéria bacana sobre o Spaghetti das Peças, feita pela Desbussolada, Luciana Biazzi. Boa divulgação do hobby.

— Mais um site está com video-resenhas dos jogos de tabuleiro, dessa vez trata-se do Liber Imago. Aí para vocês o vídeo do Quéops da Pais & Filhos.



— Para completar, acontece nesse sábado dia 24 na FunBox a 5ª etapa do Campeonato Brasileiro de Rummikub. É grátis e vale vaga na finalíssima que pode te levar pra Itália!

Joguinha com os amigos

Ontem marquei uma jogatina light com os amigos Flávio Jandorno, Shamou e Léo Rossi aqui em casa, e não podia ter sido mais divertida.

O mais interessante é que os 3 jogos, apesar de bem mais voltados para o filler, foram de autores consagrados, o primeiro foi o Discwolrd (do Martin Wallace).


Os distritos de Ankh-Morpork em disputa.

Já fiz uma resenha dele por aqui, e ontem reafirmei o quanto eu gostei do joguinho. Ele é rápido de explicar, rápido de jogar e cheio de pernadas. Mantendo os 100% de aproveitamento, ontem eu ganhei conquistando 4 distritos.

Depois dele foi a vez do bonito Master Builder (do Wolfgang Kramer). Nesse jogo somos empreiteiros com a tarefa de uma pequena cidade medieval.


A mesa no final do divertido Master Builder.

Para isso contratamos mão de obra, pegamos contratos e construímos efetivamente os prédios. O jogo é bem leve, mas o grande diferencial são as casinhas que ficam muito legais com o jogo terminado.

Essa partida quem levou foi o Flávio, comigo em segundo, Shamou em terceiro e o Léo em último.

Para finalizar, um dos poucos jogos do Klaus Teuber que eu ainda não tinha jogado, o Adel Verpflichtet.


O fraquinho Adel, filler demais.

Nele somos colecionadores de cacarecos tentando ser mais pomposos que os adversários. Dos três esse foi o mais fraquinho, mas também foi rapidinho então valeu a partida para conhecer.

Essa vitória foi do Léo numa arrancada final, eu em segundo, Shamou em terceiro e o Flávio em quarto terminando essa noite de joguinhos.

quarta-feira, 21 de março de 2012

100.000 visitas!



Esse é um post especial de agradecimento para todas as mais de 100.000 visitas registradas desde que eu coloquei o contador em julho de 2008.

Nesses anos a circulação tem aumentado a cada dia, e cada vez mais novos jogadores tem parado por aqui para conhecer um pouco mais sobre os jogos de tabuleiro modernos, ler sobre os que deixaram saudades e saber o que se passa no cenário lúdico brasileiro.

O trabalho tem rendido frutos e além dos prêmios que recebemos, temos servido de referência para jogadores e blogs amigos. É com imenso orgulho que eu chego a esses números, e espero que as próximas 100.000 visitas surjam mais rápido.

Novamente obrigado a todos os leitores e vamos para os próximos récordes a serem quebrados.

terça-feira, 20 de março de 2012

Rapidinhas de terça

— A Fantasy Flight está com um joguinho prestes a sair, chama-se Relic e usa as mecânicas do Talisman no universo do Warhammer 40.000. Maiores detalhes em breve!



— O amigo Vince Vander está preparando para maio o seu livro Ludificador. O livro pretende ser um guia de referências para os game designers brasileiros. Tá na lista.

— O pessoal da aBoard Games colocou no ar mais uma excelente vídeo-resenha, dessa vez o jogo escolhido foi o Kingsburg.



— Para terminar está no ar a 13ª Math-trade Brasil. Para você que quer dar uma modificada na coleção ou está correndo atrás de novidades, esse é um caminho. Taí o link.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Rapidinhas de quinta

— Acontece esse sábado a 4ª etapa do Campeonato Brasileiro de Rummikub que vai selecionar um jogador para representar o Brasil no mundial de novembro na Itália. Se você tá em SP boa sorte.

— A Days of Wonder acaba de anunciar mais uma expansão para o Small World, trata-se da Realms e traz terrenos para montarmos mapas diferentes e cenários. Já levaram minha grana nessa.



— Outra expansão que vai agradar é a The Coast para o divertido A Touch of Evil produzido pela Flying Frog e que também tem sua legião de fãs.

— E se você estava curioso sobre as novidades do WAR : Batalhas Mitológicas, a dica é ler a entrevista que os amigos da FunBox fizeram com os autores Andrá Zatz e Sérgio Halaban.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Resenha : Shipyard



Numa semana produtiva no blog, vamos a mais uma resenha, dessa vez de um jogo mais antigo que eu só tive a oportunidade de jogar na última Torre das Peças, o Shipyard.

Criado por Vladmír Suchý (o mesmo do excelente Last Will), nesse jogo temos a missão de criar os melhores navios para assim pontuarmos mais do que nossos adversários.


Visão geral dos tabuleiros. Foto BGG.

O jogo é uma homenagem ao sistema de rondel, tem vários, e além dessa mecânica temos um pouco de tile placement e set-collection, tudo isso funcionando de forma flúida e bem fácil de assimilar.

O jogo tem uma quantidade determinada de rodadas, e a casa rodada você tem direito a fazer UMA ação dentre as várias possíveis (se tu tiver grana até consegue uma açãozinha extra).


Zoom no mercado de peças para os navios. Foto BGG.

Dentre as ações possíveis temos os rondeis para contratar pessoal, pegar melhorias para o navio, vender produtos para arrumar dinheiro e tiles especiais, além disso temos a área para pegarmos o canal por onde vão andar nossos navios e o mercado de peças para montarmos o navio.

A parte que eu achei mais bacana foi a de ir montando os navios, funciona tipo puzzle e as melhorias que você vai coloando vão fazer com que você ganhe mais pontos e ajudam a modificar a velocidade na qual ele anda pelo canal (o que também dá pontos).


3 dos rondeis que existem no jogo. Foto BGG.

No final das rodadas determinadas os jogadores tem a chance de ainda completar seu último navio (se esse precisar apenas de uma peça) e depois disso vamos conferir as pontuações dos objetivos secretos (você recebe alguns no início e no final fica com apenas dois) e quem tiver mais pontos ganha.

Shipyard é um jogo bem bacana, com alguma dose de sorte, mas com bastante planejamento, e Linkacima de tudo, é um jogo bem gostoso de jogar.

terça-feira, 13 de março de 2012

Resenha : Dragon Valley



Criado pelo novato CW Karstens e disponibilizado graças ao financiamento coletivo via Kick Starter, em Dragon Valley somos senhores tendo sérios problemas com Orcs e Dragões que vivem invadindo nossos territórios.

A mecânica básica do jogo remete ao ótimo San Marco. O jogador da vez escolhe um outro jogador e depois disso ambos decide : ou monta o pacote de tiles, criaturas e cartas ou é o primeiro a escolher o pacote montado pelo outro jogador.


Foto de todos os componentes. Foto BGG.

Basicamente temos cartas que são eventos modificadores da rodada, e por temos uma gama reduzida de cartas esse deck é reembaralhado sempre, o que faz com que determinados eventos saiam com bastante frequência.

Os tiles são prédios que são colocados no seu terreno para ajudar a combater as criaturas e ajudam também em outros aspectos do seu reino.


Uma visão geral do tabuleiro. Foto BGG.

Por fim temos as criaturas (muito bem representadas por cubos, heheheh). Existem as criaturas do mal (orcs, dragões e máquinas de guerra) e as criaturas do bem (cavaleiros, arqueiros e uma catapulta).

Além disso tudo no centro do tabuleiro existem 9 tiles que dão bastante pontos se conseguirmos levar uma quantidade dos nossos cubos amigos para lá.


Um zoom no territórios centrais que dão muitos pontos. Foto BGG.

Os jogadores pontuam basicamente matando as criaturas (é legal usar os tiles para empurrá-los pelo penhasco) e conquistando esses tiles no centro. Quando o primeiro jogador chegar a 30 pontos a rodada termina e quem tiver mais pontos ganha.

Dragon Valley ficou um jogo bem enxuto e bacana, com arte e produção caprichadas e foi uma excelente surpresa nesse meio de tantas opções que vemos no Kick Starter.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Rapidinhas de final de segunda

— O Pedro e a Mari do aBoard Games fecharam uma parceria com a Galápagos e a primeira video-resenha que saiu dessa amizade foi a do Vale dos Monstros. Vê aí.



— Os fãs do ótimo Age of Industry ganharam uma expansão print-and-play, trata-se da Great Lakes e funciona exclusivamente para 2 jogadores.



— Por falar em expansão os curiosos podem ler um pouco mais sobre a 7 Wonders : Cities numa resenha feita pelo Eric Martin lá no Board Game Geek.

— E pra finalizar, o pessoal da Runadrake está iniciando a pré-venda do interessante Trench, que além de parecer um abstrato muito bacana ainda funciona bem como peça decorativa em casa (ele é bonitão!!!).

domingo, 11 de março de 2012

Torre das Peças


Galera animada desde cedo no Spoleto.

Esse sábado fiz uma coisa que a muito eu não fazia, fui a Torre das Peças e fiquei praticamente até o final do evento.

Num sábado de quorum razoável (umas 40 pessoas), tivemos mesas com várias novidades tais como Fortune and Glory, Belfort e Wiz-War.


Tabuleiro central do Dragon Valley.

Eu no tempo em que fiquei por lá conheci dois jogos, o primeiro foi o Dragon Valley. Um euro bem interessante com mecânicas inteligentes e pouco utilizadas. A partida com os amigos Victor (que acabou ganhando), Nuno (que empatou em segundo comigo) e Warny demorou pouco mais de duas horas e o jogo agradou a todos (merece uma resenha detalhada durante a semana).

Depois disso para passar o tempo uma partida bem disputada de RA que o Warny levou deixando eu e o Victor empatados em segundo com o Nuno em terceiro.


O tabuleiro cheio das opções no Shipyard.

Depois disso a segunda estreia da noite, o Shipyard. Esse já era um velho conhecido da galera, mas eu ainda não tinha tido oportunidade de jogar.

Bom jogo cheio de rondels e tiles que divertiu pra caramba (e também vai merecer resenha). No final desse o Warny levou fácil, comigo em segundo e o Felipe em terceiro.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Notinhas brazucas



— A GROW colocou no ar a arte pratricamente final da capa do novo WAR : Batalhas Mitológicas. Esse título serve para comemorar os 40 anos de WAR no Brasil.

— A FunBox está com uma promoção para o novo lançamento da Ceilikan, jogo Deterrence. Dêem uma olhada e participem.


Tabuleiro com a arte bem produzida para o Farrapos.

— O amigo Julio Trois teve seu jogo Farrapos escolhido pelo BGG como o melhor wargame print-and-play de 2011. Baixem e imprimam!

— Esse fim-de-semana rola Torre das Peças. Como de costume vai acontecer no Spoleto da Rua do Catete, 311. Apareçam!

terça-feira, 6 de março de 2012

Ludo Brasil no ar

Essa semana saiu o 13º número da Ludo Brasil Magazine. Resenhas de jogos como Memoir'44 e Viagem pelo Mundo, além de entrevista e um jogo print-and-play.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Os Goblins precisam da sua ajuda!

Depois de várias iniciativas de sucesso em RPG e quadrinhos, finalmente os jogos de tabuleiro estão começando a dar as caras nos financiamentos coletivos brasileiros e o primeiro caso é o card-game Card Goblins.



Criado pelo pessoal da Coisinha Verde, o projeto está quase virando realidade e com o sucesso dele, esperamos outras iniciativas parecidas. Então jogadores, façam sua parte e ajudem esses pequenos goblins a dominarem o mundo.