Publicidade:

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Resenha : Trajan



Hoje vamos dar uma pincelada no novo (e excelente) jogo do autor sensação, Stefan Feld, o Trajan.

Ambientando na Roma antiga, esse é um jogo de gerenciamento de ações e desenvolvimento, onde os jogadores tem como objetivo crescer as diversas áreas de atuação do jogo.


Tabuleiro central com as ações e seus benefícios.

A mecânica central do Trajan é um rondel que utiliza de forma inovadora o mesmo sistema do Mancala. Nesse rondel temos 6 casas que inicialmente contém 2 recursos cada, para realizar as ações você escolhe uma dessas casas e anda a quantidade de espaços igual a quantidade de recursos, "pingando" os recuros nas casas que você passar e realizando a ação da última casa que você parar.

As ações são o senado (pegando tiles para o final do jogo), o forum (pegando tiles para mais ações), Trajan (que pega tiles para o seu tabuleiro), comércio (mandar bens e pegar mais bens), construção (um set-colection que pode dar muitos pontos no final) e a ação militar (que dá tiles para mais ações).


Tabuleiro de cada jogador com o rondel na posição inicial.

Todas as 6 ações possíveis ganham ponto, o grande lance do jogo é saber em qual ação focar e qual o melhor momento de tentar uma estratégia mais agressiva ou ficar marcando os adversários.

Dos últimos lançamentos do Stefan Feld, particularmente achei esse o melhor título. Cheio de decisões, várias formas de ganhar e como é costume nos jogos dele fica difícil definir o vencedor até a última pontuação do jogo. Novamente ele acertou na mosca!

4 comentários:

jp_limac disse...

Estou realmente muito empolgado com esse jogo.

Mas, me responda: quanto à interação entre jogadores? Existe? Qual o nível?

Um abraço!

Cacá disse...

Fala JP...

Cara.. tem áreas do tabuleiro com bastante iteração... principalmente na área militar, forum e nas construções (que são as partes onde efetivamente seu meeple vai)...

Fora isso não há muita não, mas o jogo não dá impressão de "multi-player-solitaire"....

Abraços...

Marcos disse...

Só a arte que me pareceu meio "fraquinha"...

Renata Palheiros disse...

tb achei que podiam ter caprichado mais no tabuleiro central, mas a arte dos tabuleiros dos jogadores é legal.

Quanto ao jogo, pra minha primeira partida, fiquei um pouco perdida com a quantidade de possibilidades de se conseguir pontos de vitória. Mas a experiência do Peter e do Warny provaram que já existe um caminho das pedras para conquistá-la: e o principal dele é o militarismo.

Muito bom jogo!